sábado, 2 de abril de 2011

"Julgar" por Júlio César.


Porque é tão difícil de conviver com as pessoas? Será que não basta cada um viver sua própria vida? Será que é difícil olhar para o próprio umbigo ao invés de criticar a tudo e a todos? É tão fácil e prazeroso julgar, mas, e ser julgado? Quem é que gosta?

       Sinceramente, creio que é muito fácil e simples conviver comigo, tento ser o mais agradável possível e tento o máximo não criar tumultos ou qualquer coisa do tipo. Não digo que sou perfeito, ninguém é. Só acho que todos deveriam viver se preocupando consigo mesmos, tentando achar um rumo á sua própria insignificância, e se possível, tornar-se alguém que tem algum propósito aceitando a não igualdade dos outros ao redor.

Mas não! Isso parece impossível de ser colocado em prática. Quanto mais se tenta afastar-se da multidão, distanciar-se dos holofotes do julgamento popular, mais eles te perseguem, mais facilmente se torna alvo e sinônimo de qualquer coisa pejorativa.

As pessoas são cruéis, gostam de ver a desmoralização alheia, mas quando se encontram na miséria, quando sucumbem na própria desgraça não veem motivos para rir. Todos gostam de falar do que é normal, natural e moral.  Claro que existem exceções a isso, mas particularmente poderia numerar nos dedos de uma mão as que tive contato até hoje.

Mas nem todos percebem que o certo e o errado estão na particularidade de cada um. Ou será que Hitler causou o holocausto achando que tudo aquilo era errado? Ou algumas igrejas sugam tanto dinheiros de pobres analfabetos funcionais porque acham que isso é errado? Volto a dizer, o certo e o errado se encontram na particularidade de cada um e não é justo criticar alguém por fazer algo “errado” desde que ela não esteja agredindo outro alguém.

Não gosto de falar de religião, mas acho necessário nesse caso indagar: Será que é tão difícil seguir o mandamento do “Não Julgarás”, ou o “Amai ao próximo”? Onde estão vossas convicções religiosas ó pastores, padres e cristãos, quando julgam a tudo e a todos e pregam tais frases bíblicas? Ou será que o Apocalipse já começou e eu não fui avisado de vossos cargos no Julgamento Final? Pra que serve meu “livre arbítrio” se não posso fazer minhas próprias decisões sem estar errado pelos olhos de alguém ou de alguma crença?

Acontece que todos deveriam carregar espelhos, para olhar diretamente para eles quando ousassem criticar alguém que não lhes deve satisfações. Mas pensando bem, acho que não seria uma boa ideia. Seria cruel demais colocar espelhos na frente de alguém sem face, sem identidade. O que ela poderia ver?

OBS: Não sou ateu (mas respeito e compreendo quem é), só acredito que não se tem como necessário ir a um local especifico para agradecer ou conversar com “Deus” ou o ser superior que você venha a crer. Já que Deus é onipotente (pode tudo), onipresente (está em todos os lugares) e onisciente (sabe de tudo), porque eu tenho que ir a algum lugar e pagar certa quantia pra ele me ouvir ou me atender de alguma maneira?


13 comentários:

Millena Blogueira disse...

Costumo utlizar o ditado:"nunca faça ao outro , o que não gostaria que fizesse com você".
Existem uma diferença entre julgar e ter opinião.
Muitas pessoas fazem um pré-julgamento e poucas tem opinião própria.

Habib Sarquis disse...

Realmente concordo com você. Não precisamos de intermediário pra falar com Deus. Seja Igreja, pastor ou padre.

http://boomnaweb.blogspot.com/

KAKI disse...

Concordo

nossa adorei seu blog e principalmente sua criatividadee !!!
to te seguindo me segue tbm www.sentimentares.blogspot.com
ta afim de uma troca de banners parceria? entra em contato hugo_kakizinhoo@hotmail.com
ou pelos comentarios do meu Blog obg.. :D

Will disse...

opa demoro kaki já to te add

Júlio César disse...

Will, obrigado pelo espaço, significa bastante para mim poder ter milhas palavras transmitidas por um blog tão bom quanto o seu. Quem dera um dia eu possa escrever tão bem quanto você.

william disse...

Meu orgulhinho kkkk Julio PARABÉNS melhor impossivel.

Você disse com louvor o que a muito vem entalado na minha garganta. As pessoas precisam aprender a respeitar as diferenças, não devemos julgar mas buscar COMPREENDER. Não sei em que estado de racionalidade que algumas pessoas se encontram quando julgam ou palpitam a vida alheia, qual a logica de se doer por algo que não nos afeta ? Disse o celebre historiador Marc Bloch "O Homem é filho de seu tempo" então o certo seria nós perguntar que tempos são esses, os quais vivemos, onde vemos a decadência da humanidade o progresso acompanhado do regresso.

se está escrevendo aqui é porque o faz tão bem ou melhor que eu. abraç'

paradigmas universal disse...

AS PESSOAS ACREDITAM ESTAR VIVAS ISSO ME CAUSA REPULSAS.

Daiah Scarlet disse...

todos nós, vez ou outra acabamos julgando alguém, mas concordo completamente com você! Tem certo ponto até em que esses "julgamentos alheios" começam a nos limitar :s

Revista Super Desinteressante disse...

Isso sim que é um blog de conteudo !

não tem como sempre julgamos as pessoas principalmente as que não conheçemos...

seguindo!!

http://revistadesinteressante.blogspot.com/

@tulio_rox disse...

Essa ideia de andar com os espelhos é o melhor método figurado que já encontrei para parar de julgar os outros!

dinho-music disse...

Cara realmente, o post ta excelente.

Rodrigo Celi disse...

se com ferro fere, com ferro será ferido né

Millena Blogueira disse...

Julgamos os outros e nos esquecemos que um dia também poderemos ser julgados.

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails